Retorno das atividades: O que faço com suprimentos?

Para aqueles que fazem as compras, o momento é de cautela. Se antes faziam contas para acertar a demanda, agora mais do que nunca, será a hora de usar a percepção dos movimentos e comportamento de seus clientes. Já dissemos aqui outras vezes em reengenharia de cardápio, faça isso para evitar grandes desperdícios, obrigatoriamente os estabelecimentos terão que diminuir em mais de 50% seus atendimentos, consequentemente suas compras irão diminuir.




Ah então é fácil, pego minhas compras anteriores à crise e diminuo 50.. 60% e pronto, tudo certo!


É, até seria se o comportamento do seu cliente e o mix de produtos que você trabalha não sofresse nenhuma alteração. Infelizmente o comportamento irá mudar e não é questão de saber o futuro, isso já vem ocorrendo mundo a fora. Durante a crise, pudemos observar o quão importante será o fator de higiene do seu estabelecimento e quanto mais vezes fizer mais seguro seu cliente se sentirá. Já nesta mudança veja que o custo de seus produtos de uso e consumo terão uma maior percepção, pois agora ele se tornará uma linha das suas despesas com maior visibilidade por conta do maior consumo, então atenção.


Mas não vamos entrar muito neste detalhe não, foi mais uma maneira de abrir os olhos para a sua reabertura, claro que o consumo de álcool gel, máscaras descartáveis, talheres descartáveis, será grande nesses próximos meses, mas não é esse o nosso foco. Nosso objetivo aqui é abrir a cabeça de vocês para errarem menos e acertarem mais na hora da decisão das compras, vamos entrar em uma nova era, mesmo que curta, mas para o setor que vive o dia a dia será uma eternidade. Se antes o estoque era dinheiro parado, hoje então é artigo de luxo. Com a retomada gradual e parcial da economia, muita atenção, aumente a frequência das compras, diminua a quantidade de itens no cardápio, evite ter itens que geram grandes perdas devido a validade ou produtos importados mesmo que por um prazo determinado, comunique seu cliente que é uma maneira de sobrevivência para o estabelecimento, tenho certeza que bem comunicado eles vão compreender o momento.


Sabe aquele item do cardápio que o CMV grita? Pois então, a hora da mudança é essa, lembre-se que está fechado a mais de três meses, temos clareza que não será este produto que afastará seu convidado, mas esse tipo de movimento fará com que você consiga passar por mais crises que virão.


Algumas semanas atrás, em plena crise lendo um texto do CEO da CVC ele dizia “é hora de sentar no caixa da empresa e observar o comportamento do mercado nos próximos meses, claro que já montando estratégia para inovar”, como a interpretação é individual e não colegiada, a reflexão para o nosso setor é exatamente essa, claro que para empresas que possuem caixas fortes, este momento também é oportunidade de investir, mas cá entre nós sabemos que para os médios e pequenos a realidade é outra.


Por isso esse texto de reflexão, aumente a frequência das suas compras, não faça grandes estoques, a pandemia ainda não acabou, podemos ter uma segunda onda, já pensou nisso? Você comprou, abasteceu, voltou seus funcionários de suspensão e, sem querer vem a segunda onda de contaminação por coronavírus. Precisamos ser cautelosos nestes momentos de crise, claro um dia ela passará, mas ainda não passou e nosso caixa está na UTI.


Por hora, pratiquem o exercício do menos é mais e, temos certeza que conseguirá passar por mais este momento.



Autor: Roberto Alves

9 visualizações0 comentário

©2020 por ReInova Consultoria.