Empréstimo Bancário

Se sua solicitação de empréstimos foi negada fique sabendo que você não está sozinho! É isso mesmo, ouve-se dizer que o governo liberou mais de R$ 40 bilhões em linhas de crédito, mas destes apenas 3,6% chegaram para os micros e pequenos empresários. É meu amigo, sábio era meu avô que dizia não confiar em banco e melhor era utilizar o colchão.


O setor que nunca perde independente do momento econômico do país, é o setor financeiro. Se a economia está em crescimento, saiba que este setor ganhará rios de dinheiro com abundância em transações de investimento, créditos, aplicações e assim vai. Se a economia está em baixa lá estão eles com linhas de créditos disponíveis para “socorrer" a demanda do momento, óbvio sempre com taxas pornográficas melhor dizendo.


Pois bem, em plena crise financeira causada por um fator não econômico e sim de saúde pública, lá estão eles soberanos como sempre. E ao invés de dar apoio aos empresários, de vários setores, estão simplesmente ignorando a tal necessidade. Postura social? Somente para comercial na mídia prometendo várias vantagens e apoio! Estão sim sendo cúmplice no fechamento de alguns empreendimentos e do aumento em larga escala do desemprego.


Quando aceitam seu pedido de empréstimo, exigem sempre uma garantia real por meio de imóveis, levam para análise do crédito, te pedem 1001 documentos; relatórios financeiros e jurídicos, após isso demoram dias e dias para depois negar este crédito por restrições de cento e poucos reais. Sim, tem vários relatos nesse formato.


O setor já demitiu mais de 1 milhão de trabalhadores em todo o Brasil desde o início da pandemia, segundo a Associação Nacional de Restaurantes (ANR). Já a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) estima que, sem novas medidas auxiliares do governo, 40% dos bares e restaurantes do país fecharão as portas definitivamente.


Nenhuma medida de apoio criada pelo governo para minimizar o risco dos bancos ajudaram eles a mudarem de postura, como é o caso Programa Emergencial de Suporte a Empregos, anunciado no final de março, no qual na época foi anunciada com uma certa esperança. Com a MP 944, o governo lançou uma linha de crédito de R$ 40 bilhões para preservar empregos por meio do financiamento da folha de pagamento de pequenas e médias empresas com faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 10 milhões.


Autor: Anderson Coimbra



8 visualizações0 comentário

©2020 por ReInova Consultoria.